Texto escrito por mim e publicado no encarte do álbum “Babies”, gravado em parceria com a banda Exército de Bebês. O documentário que ilustra o texto, dirigido por Clara Cosentino, registrou todo processo de feitura do disco, desde os primeiros ensaios, passando pelas sessões de gravação no estúdio até o primeiro show, no Cine Jóia […]

Texto de apresentação do disco “Corpos são feitos pra encaixar e depois morrer”, escrito pelo crítico Marcos Lacerda. O novo disco de Bruno Cosentino, Corpos são feitos pra encaixar e depois morrer, dá continuidade às suas experimentações de som pop sofisticado junto a uma poética do corpo, como fizera em Amarelo, seu álbum de estreia. Por […]

Texto sobre o disco “Amarelo”, escrito pelo compositor e crítico Paulo da Costa, para a revista Piauí. Amarela, em tons de ouro, é a luz do fim de tarde. Luz tenra, que delineia formas e volumes com mãos delicadas, revelando cores e matizes quentes, texturas afetivas. É nesse amarelo que penso quando ouço o álbum […]

Texto de apresentação de “Babies”, escrito pela fotógrafa e crítica musical Pérola Mathias, e publicado no encarte do disco e no site Poro Aberto. Bruno Cosentino dá as caras. Se em Amarelo o torso nu (que anunciava seu primeiro disco solo) preconizava a contraditoriedade do desprendimento do corpo descoberto e, ao mesmo tempo, sua forma escultural […]

Texto publicado na revista Roda com comentários meus sobre cada uma das faixas do disco “Amarelo”.  Tarde Esta canção é uma canção curta. Ela e “Amor a quanto obriga”, quando as compus, pretendia que fossem uma só; os acordes são os mesmos, a temática também, mas não deu. Escolhi então colocá-las juntas na forma de […]

Texto escrito por mim, a convite de Márcio Bulk, para sua coluna “Pitacos valvulados”, na revista Roda. Comparo a postura crítica no campo musical da banda Racionais MC’s com a do meu ídolo máximo Caetano Veloso.   Na última sexta-feira, os Racionais MC’s se apresentaram pela primeira vez na zona sul do Rio de Janeiro, num evento chamado […]

depois de fazer as canções do A M A R E L O, percebi que elas estavam repletas de interrogações referentes à possibilidade de duas pessoas viverem juntas uma vida em comum. essa grande dúvida, eu sabia, era resultado, por paradoxal que possa parecer, de uma certeza íntima, no meu caso, de que isso era possível. […]

Matéria sobre o lançamento do disco “Babies”, escrita pelo jornalista Leonardo Lichote para o jornal O Globo, seguida de breve texto crítico de Silvio Essinger.  Eu tenho muito a dizer sobre a crítica do Essinger, porque as críticas boas me fazem pensar. E faço agora por conta do show deste sábado e porque se não fosse […]